IT Green | Inovação e Sustentabilidade

  • Compartilhar:

Visão Geral

Nos últimos anos, a inovação tecnológica em gestão de informação e comunicação tem proporcionado o crescimento socioeconômico e a melhoria da vida das pessoas. A inclusão social dos desfavorecidos social e economicamente e das pessoas com necessidades especiais, através da inclusão digital, é um exemplo da importância da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Para incentivar essa inclusão digital, o Porto Digital tem tomado como um dos seus eixos de RSE a Acessibilidade Digital.

 

A inclusão digital, visto como um processo que permitirá às pessoas desfavorecidas oportunidades para compartilhar os benefícios econômicos, sociais, políticos e culturais produzidos na sociedade contemporânea, é uma forma de inclusão social através da utilização das TIC. Assim, a indústria das TIC pode facilitar a inclusão das pessoas desfavorecidas no mercado de trabalho, a fim de melhorar sua qualidade de vida e estimular a geração de renda, bem como estimular o crescimento da indústria das TIC em si. Na sociedade da informação, a indústria das TIC também permitiu que muitas pessoas com necessidades especiais a participassem mais ativamente na vida social. Através das TIC as pessoas com necessidades especiais podem transpor as suas limitações e se relacionar de forma mais ampla com a sociedade, especialmente através da Internet.

 

Como funciona

O objetivo do eixo de Acessibilidade Digital é: (i) aumentar a conscientização sobre a acessibilidade digital; (ii) estimular a discussão sobre as tecnologias acessíveis, (iii) promover o uso de boas práticas de acessibilidade digital; (iv) criar um cultura em torno do tema acessibilidade digital.

 

Para atingir os seus objetivos nesta área o Porto Digital tem em seu núcleo as seguintes atividades:

 

•       Realização de seminários sobre Acessibilidade Digital – A ideia é promover seminários a fim de discutir as novas tecnologias, as boas práticas, as novas ferramentas e criar uma rede para troca de ideias e estimular a cultura no ambiente.

 

•       Realização de pesquisas e estudos – O Porto Digital pretende continuar investindo em estudos e pesquisas sobre novas tecnologias, boas práticas adotadas pelas empresas e academia, no país e no mundo, e, diretrizes governamentais.

 

•       Realização de cursos de formação de programadores de tecnologias assistivas – A ideia é realizar cursos de formação a fim de disseminar o conhecimento sobre a acessibilidade digital para os funcionários do parque, promovendo o uso e o desenvolvimento de tecnologias assistivas.

 

•       Articulação de atores estratégicos – Os atores estratégicos dessa cadeia devem ser identificados com dois propósitos: o primeiro é identificar quem são os especialistas que estão praticando algum trabalho nessa área. O segundo objetivo é conhecer quem são os atores que podem ter interesses comuns na área de acessibilidade digital, tentar fazer algumas parcerias e arrecadar investimentos para a área.

 

Resultados

•       Seminário de Acessibilidade Digital – A primeira edição do Seminário de Acessibilidade Digital foi realizada de 17 a 19 de janeiro de 2012. O seminário contou com a presença de oradores de diferentes estados do país, incluindo alguns pesquisadores de diversas universidades e também um palestrante com deficiência visual. O evento atraiu cerca de 60 pessoas e contou com a presença de 30 empresas do habitat. O seminário foi muito positivo e alcançou os objetivos de motivar e estimular os programadores de software sobre a importância da acessibilidade digital e também o que pode ser feito com a tecnologia existente, bem como a introdução de alguns conhecimentos sobre as diretrizes do governo.

 

seminário acessibilidade digital

•      Curso de Acessibilidade Digital – Após o sucesso do seminário, foi realizado um Curso de Acessibilidade Digital. O conteúdo foi baseado em como desenvolver sites e softwares acessíveis. O curso teve um total de 50 participantes, dos quais a metade participou também do seminário.

 

•       Manual de Boas Práticas de Acessibilidade – Estudos e pesquisas foram realizados para realização de um bechmarketing sobre a acessibilidade digital, a fim de diagnosticar a cultura do ambiente de TI e investigar as diretrizes do governo e perspectivas para o futuro. O Manual de Boas Práticas de Acessibilidade Digital na Indústria de TIC foi então desenvolvido, a fim de proporcionar às empresas e parceiros uma boa referência sobre o tema do Porto Digital.

 

Manual de Boas Práticas de Acessibilidade

 

•       Estabelecimento de Parcerias – Aproveitando-se da capacidade do Porto Digital em articular-se com vários atores do ecossistema, foi possível realizar várias ações em parceria com a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (SECTEC) e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).